Crédito

IV. Crédito - Operações Alvo

Principal
Característica
Operações estruturadas = menor risco e mais taxa
Título e Lastro CRIs lastreados em contratos de: (i) compra e venda, (ii) locação, (iii) financiamento imobiliário, (iv) CCBi ou Debênture imobiliária
Estruturas Típicas (i) Operações pulverizadas, (ii) Antecipação de contrato de aluguel, (iii) Sale and leaseback, (iv) Built-to-suit e (v) Antecipação de resultados
Localização ativos Foco em SP e RJ
Devedores/ Cedentes Foco em incorporadoras, empresas de properties, desmobilização de ativos e loteadoras
Volume operações Superior a R$ 20 milhões
Prazo Foco em operações com duration de 30 meses
*prazo total máximo 10 anos
Pagamentos Mensal, sem carência de juros. Amortização flexível
Taxa de Rentabilidade Foco em operações com taxa nominal acima de 16% a.a.
*spread mínimo em relação NTN-B = 2 p.p
Benchmark Flexível, preferência por Inflação + (IPCA ou IGPM
Nível de Garantia Foco em operações com no mínimo 200% de garantia segundo avaliação equipe RBR
Metodologia de Análise Foco em 2 componentes: Fluxo financeiro para pagamento da operação + Garantia Real
REGRA RBR: No caso de deficiência em um dos componentes o outro deverá sempre compensar em, pelo menos, 2x a deficiência

Próximo

IV. Crédito - Case Real

Principais Características

Emissão Certificados de Recebíveis Imobiliários - CRI
Valor Global da Série R$ 25 milhões na Data de Emissão
Prazo de Amortização e Pagamento de Juros 42 meses
Remuneração CDI + 6%a.a
Lastro CCI representativa de CCB de empresa proprietária de empreendimentos imobiliários a performar
Garantias Cessão da participação da SPE nos dividendos gerados pelos empreendimentos; Regime Fiduciário; Alienação Fiduciária; Fiança e Aval
Regime de Colocação Distribuição pública com esforços restritos, em regime de melhores esforços de colocação

DEVEDOR "Empresa A"
EMISSOR "Securitizadora"
ASSESSOR JURÍDICO

Estrutura Operacional

(1) A "Empresa A" incorporou empreendimentos residenciais e possui um fluxo esperado de dividendos
(2) A "Empresa A" emitiu CCB em favor da "CIA Hipotecária", na qualidade de Credora, que por sua vez cedeu a "Securitizadora" Imobiliária
(3) A "Securitizadora" emitiu CCI representativas da CCB, e os CRIs com lastro na CCI. Formalizou o Termo de Securitização e o Patrimônio Separado;
(4) Os CRI foram distribuídos no mercado de capitais doméstico de acordo com a Instrução CVM 476/09
(5) Os dividendos provenientes dos empreendimentos da operação serão utilizados para o pagamento das obrigações relativas aos CRI e ao Patrimônio Separado

Anterior